sábado, junho 10, 2006

Aliterando...

Lentamente, ele lia as longas lengalengas, embalada pelo ulular lânguido. Maria magicava modos de mudar a melodia meiga que a mitigava. Nada nascia nessa noite neutra. Onde os ocasos ocorriam, ondulantes e oblíquos. Fitou-o fixamente e fugiu, fragilizada. Ainda assobiou um acorde assimétrico, atenta às andanças dos afectos. Parou por fim. Petrificada pela plenitude da paixão.

Sem comentários:

Follow my blog with Bloglovin