segunda-feira, agosto 28, 2006

Happy Birthday to me!

Há uma aura profundamente estranha que envolve o dia de anos, com a irreversibilidade das coisas que tomamos como certas na vida. E essa dita aura de estranheza acentua-se com o passar dos anos.
Sempre adorei fazer anos - quanto mais não fosse pela certeza de estar viva! - e, nesse dia único, concentrar sobre mim todas as atenções, os afectos, os gestos de carinho que gostaria que se perpetuassem ad eternum, sem que para tal fosse necessário o perfeito alibi do aniversário.
Na infância e na adolescência, ou até mesmo quando se passa a etapa da maioridade, sentimos a suave doçura do tempo que é totalmente complacente connosco. Afinal, ainda somos tão novos e há todo um horizonte de expectativas e de projectos múltiplos que se nos abre. Sem pressões, sem pressas, pois o Tempo é mais que infinito.
Porém, quando nos aproximamos dos 30 (como é o meu caso, que este ano faço 28!!), apercebemo-nos de que esse horizonte se vai confinando cada vez mais e de que, para nossa surpresa!, há imensas pessoas mais novas que nós! Além dessa consciência cruel, vemo-nos aprisionados numa doce teia de saudosismo que nos leva a desejar beber leite com Cola Cao, comer pão com a inesquecível Nutella ou com Queru, enquanto assistimos a mais um episódio do Fame ou do Modelo e Detective e, no final da noite, adormecemos ao som das Dunas dos GNR.
O grande paradoxo é querer celebrar o aniversário e, por outro lado, recusar-me a aceitar o facto de que, à medida que vou envelhecendo, me sinto cada vez mais infantil. Dentro de mim, ainda vive uma miúda que delira com os telefonemas à meia-noite em ponto, com o frenesim dos presentes e os disparates que se dizem nas jantaradas de anos.
Porém, são os paradoxos que fazem a vida interessante e lhe conferem tonalidades várias. O preto e branco é demasiado monótono e só resulta nas fotografias.
Um questão para finalizar esta melancólica dissertação: quando fizer 30, deverei refugiar-me num bunker ou celebrar freneticamente?...

5 comentários:

ruben disse...

Falta um dia...

ritanery disse...

Faço tuas as minhas palavras...adoro fazer anos!Mas últimamente dou por mim a querer fazer sempre os mesmos...o meu saudosismo é bem diferente do teu, não queria voltar atrás para viver outra vez todos os momentos que um dia vivi, queria vivê-los mas de uma maneira diferente e revolto-me só de pensar que determinadas atitudes até hoje pintam o meu cenário de cores feias...enfim...tudo na vida feliz ou infelizmente tem consequências.
Concluo que o meu dia de anos é sempre vivido a "meio gáz", pela raiva contida de saber que tudo poderia ser diferente, se um dia...
"SE"...
Resta-me dizer-te que fico muito feliz por partilhares este dia tão importante comigo e prometo que de tudo farei para o tornar o mais agradável possível!!!
Adoro-te!Beijas!

ruben disse...

Já não falta dia nenhum!!! PARABÉNS Cota!!!

al cardoso disse...

Pois que faca muitos e que nos a vejamos fazer.

HAPPY BIRTHDAY TO YOU.

Jp Marinhais disse...

Muitos Parabéns Cota!!! Ai, Cota, Cota! hehehehe. Desculpa ennviar-te os parabéns com um dia de atraso, mas mais vale TARDE do que NUNCA! Fica bem e beijinhos. João Pedro

Follow my blog with Bloglovin