sexta-feira, junho 13, 2008

Porque sim...


Quando passo muito tempo sem escrever, sinto um bichinho irrequieto dentro de mim que quer obrigar as palavras a saltar cá para fora. Pode não haver qualquer leitmotiv (por vezes, o cansaço imposto pelo quotidiano é tão cruel que faz esgotar as motivações para a escrita), mas a vontade anda por aqui, impaciente, incontida, inabalável. Quantas vezes nos submetemos às imposições do dia-a-dia e logo nos esquecemos do que realmente nos move e preenche por completo. Porque o quotidiano é, por vezes, desesperadamente cinzento, a escrita e a dança frenética das palavras dão sentido e vida à própria vida. Como diria Lobo Antunes, "a escrita é uma forma de combater o absurdo". Concordo na medida da minha insignificância, mas nem por isso posso dizer que sou imune a esse vício tão saudável de escrever (ou de "escrevinhar"!). Porque sim...

2 comentários:

Dalaiama disse...

E fazes muito bem em escrever, Ana. Produzes sempre lego colorido com as peças bem encaixadas. Nós agradecemos :-)

Rita Nery disse...

Sabes uma sensação que aprendi, ou estou a aprender a gostar? A de sentir uma enorme vontade de escrever e não saber o quê...é como ter mil ideias para ocupar o tempo e não conseguir descrever quanto mais concrettizar uma...
É gostar mesmo, acho...

Beijitas Mary!

Rita Nery

Follow my blog with Bloglovin