terça-feira, outubro 19, 2010

Poderemos falar sem nada dizer? Poderemos obter as respostas nos maiores silêncios? Poderão as palavras ser completamente desnecessárias e vazias? Poderá o chão abrir-se de um instante para o outro e o mundo desabar num sopro? Poderão os passos encaminhar-nos num sentido para logo nos desviarem numa direcção que queremos muito e que não queremos com a mesma força alucinada? Poderemos sempre renascer a cada sorriso que irrompe como um raio de sol que nos acaricia a pele?
Follow my blog with Bloglovin