quarta-feira, junho 29, 2011

na quietude

na quietude de um abraço prometido desde há muito, ecoaram de novo as certezas que se julgavam perdidas para sempre, irremediavelmente confinadas a uma realidade demasiado estática para sequer se pensar diferente.

na quietude desse abraço, na doce ternura de uma promessa que se cumpriu, tão deliciosamente improvável, soltou-se uma torrente de emoções e de palavras que emprestaram novas tonalidades à existência.

na quietude desse abraço, a certeza de um sorriso que nos espera e nos toma por completo, doces reféns de um laço inabalável.

na quietude desse abraço, um sentimento avassalador que se fez ETERNO!...

Sem comentários:

Follow my blog with Bloglovin