domingo, novembro 27, 2011

TEDx Viseu - City R-Evolution



Viseu acolheu pela 1ª vez o evento TEDx, o qual decorreu nos magníficos claustros da Pousada de Viseu, outrora Hospital S. Teotónio, a 26 de Novembro, das 09:00 às 18:30.
Os eventos TED - Ideas Worth Spreading nasceram nos Estados Unidos e o seu formato - apresentações de 20 minutos, muito concisas e directas ao cerne da questão abordada e, por norma, muito apelativas - foi rapidamente importado para outros países.
Foi a primeira vez que a cidade de Viseu acolheu este evento, pelo que se tratou de uma oportunidade única para assistir a intervenções interessantíssimas e à partilha de ideias que, tal como a designação original das TED Talks indica, merecem ser divulgadas.
O tema basilar do TEDx Viseu era "City R-Evolution" e cada um dos diversos oradores versou este mesmo tema sob o seu próprio ângulo de análise. O leque de intervenções era muito diversificado, cobrindo as mais variadas áreas do saber e do conhecimento: desde a cultura à informática, da psicologia à economia, da ficção humorística ao empreendedorismo, do teatro ao planeamento territorial, da gastronomia à informação.
Foi um autêntico prazer poder assistir a este verdadeiro manancial de ideias fervilhantes na minha cidade que, de facto, cresceu imenso nas duas últimas décadas, mas que apresenta ainda um profundo atavismo cultural e intelectual. Falta massa crítica nesta cidade, pessoas interessantes e interessadas que gerem discussões, que convoquem a inteligência e o espírito crítico. O progresso de um país não se pode medir unica e exclusivamente pelos tapetes de alcatrão que cobrem o país de norte a sul, mas pelo incremento intelectual, cultural e civilizacional do povo.
Ora, ter a possibilidade verdadeiramente única de ver, ao vivo e a cores, os actores de profundas transformações, nas áreas mais díspares, foi, para além de um prazer, um verdadeiro privilégio, acalentando a esperança de que Viseu possa vir a acolher mais eventos do género.
Parecerá sempre ingrato salientar uma intervenção em detrimento de tantas outras , igualmente estimulantes, mas retive a interessante apresentação do economista e comentador televisivo Pedro Guerreiro, que colocou a seguinte questão na abertura da sua intervenção: "Quanto tempo é preciso para uma revolução? 27 segundos. " Deu como exemplo da oportuna onda da Nazaré que pôs Portugal na boca do mundo e, neste caso, por um bom motivo! No entanto, e contrariamente ao que se possa julgar, esta maior onda do mundo não foi obra do acaso, mas de uma estratégia sustentada que envolveu o município local e que levou àquele resultado que o planeta viu. Nada vem sem trabalho, sem sacrifício, sem empenho. E só assim conseguiremos apanhar a onda da retoma e, sobretudo, do optimismo!:)

Sem comentários:

Follow my blog with Bloglovin