domingo, setembro 16, 2012

Occupy Rossio!

Ainda que Viseu não tivesse propriamente um mar de gente (outra coisa não seria de esperar numa cidade com reduzida tradição contestatária), foi, sem dúvida, muito refrescante ver a democracia a a acontecer, como se de uma assembleia popular se tratasse! Foi uma manifestação sem bandeiras partidárias, feita pelos cidadãos anónimos que, em uníssono, manifestaram o seu profundo descontentamento perante esta trágica austeridade a que fomos submetidos, pagando pe
los sucessivos desgovernos que, ano após ano, foram minando este país que tinha tudo para dar certo. As pessoas estão fartas de partidos, de partidarites agudas e querem fazer ouvir a sua voz, demonstrando que a democracia não se pode esgotar no mero acto de votar. Faz-se de iniciativas como estas que nasceram nas redes sociais e que extrapolaram para a sociedade civil, convocando a insatisfação generalizada e partilhada por todos.
Esta manifestação nacional deveria servir de motivo de séria e aturada reflexão, não só para o Governo, mas para todos os partidos do espectro político. Todos falharam, sem excepção, sobretudo os que têm (des)governado os destinos da nação. Vivemos tempos de mudança e o vento sopra cada vez mais forte:)

quinta-feira, setembro 13, 2012

Tempos interessantes

Alguém disse que "vivemos tempos interessantes". Interessantes porque aparentam anunciar uma qualquer mudança que ainda não se definiu, mas que terá, inevitavelmente, de acontecer. O exercício da democracia não se pode resumir ao mero acto de votar. Se assim for, será tristemente redutor. A democracia exerce-se com uma consciência aguda da realidade em que nos inserimos, com pensamento crítico, com um permanente questionar das verdades que insistem em que aceitemos sem pestanejar, com inteligência, com uma atitude comprometida perante a sociedade, com sentido de justiça e de equidade. Não precisamos de ser políticos para sermos politizados. Há que pensar. Há que pôr em causa. Há que gritar. E acreditar que a nossa voz pode trazer em si o eco da mudança.
Follow my blog with Bloglovin